Conheça os tipos de anestesia

anestesia geral

A anestesia é um estado no qual a pessoa deixa de ter sensações, inclusive a de dor. É utilizada em diversos procedimentos cirúrgicos para que o paciente não sinta dores e consiga passar pela cirurgia tranquilamente. Existem diversos tipos de anestesia, cada um atendendo às necessidades desejadas pelo médico para alcançar determinados objetivos.

São tipos de anestesia:

ANESTESIA GERAL: Como o próprio nome diz, é uma anestesia que abrange o corpo todo da pessoa. Um coquetel de medicamentos é dado ao paciente (na veia, por inalação ou ambas), que fica inconsciente, sem conseguir movimentar-se ou sentir dor durante o procedimento cirúrgico. É indicada para procedimentos de médio e grande porte e também para pacientes agitados e crianças.

ANESTESIA REGIONAL: A anestesia é dada somente em algumas áreas do corpo. Nesse tipo de anestesia, incluem-se a raquidiana e a peridural. Elas bloqueiam o impulso de dor na medula, e o paciente passa a ter ausência de sensações abaixo do umbigo. A raquidiana é aplicada nas costas e seu efeito permite que o paciente fique com os membros inferiores e parte do abdômen completamente imóveis. Já a peridural é aplicada nas costas, perto dos nervos que transmitem sensibilidade dolorosa, bloqueando apenas algumas raízes nervosas. A diferença entre as duas se dá na quantidade de anestésicos, local de administração e modelo de agulha utilizada.

ANESTESIA LOCAL: É utilizada em procedimentos superficiais de pequeno ou médio porte, sendo administrada em determinada região do corpo, sem que aconteça o bloqueio de um nervo específico, limitando o efeito à área em que foi injetada a anestesia.

Otoplastia – a cirurgia de correção das orelhas em abano

otoplast

Existem 3 tipos de deformidades considerados orelhas de abano:
- Concha da orelha (parte interna) muito grande;
- Dobra superior da orelha ausente;
- Ângulo muito aberto entre cabeça e orelha (a mais comum).

Para todos esses tipos de deformidade na orelha, a otoplastia, cirurgia plástica corretiva da orelha em abano, é o procedimento indicado. O processo de recuperação da cirurgia é tranquilo e o resultado, geralmente, bastante satisfatório, podendo ser visto em poucas semanas depois do procedimento. A cicatriz fica localizada atrás da orelha e o processo de cicatrização se encerra em cerca de seis meses.

A anestesia, via de regra, é local com uso de sedação, mas pode variar de acordo com a avaliação do cirurgião plástico, que pode optar por uma anestesia peridural ou geral. O paciente que faz uma otoplastia costuma ficar no hospital por, no máximo, um dia.
As recomendações de pré e pós-operatório são as mesmas para outras cirurgias, no entanto, o paciente deve seguir sempre outras orientações específicas dadas pelo especialista, lembrando que o retorno ao médico é importante para a boa manutenção da otoplastia.

Tudo sobre o Lifting Facial

shutterstock_71143099

A maioria das pessoas já viu alguém que fez essa cirurgia, talvez nem mesmo sabendo que era o Lifting Facial. Por ser um procedimento muito realizado acaba ficando desconhecido pelo seu verdadeiro nome.

O Lifting Facial é a cirurgia de rejuvenescimento da face, pois através da técnica utilizada pode-se eliminar rugas e linhas de expressão que surgem com o passar dos anos. No procedimento, o cirurgião plástico realiza incisões em algumas regiões da face, como o canto externo das sobrancelhas e as bochechas, erguendo-as. Também se estica a pele do pescoço para reduzir as papadas, entre outras coisas. O importante é que o cirurgião realize o rejuvenescimento facial com o intuito de manter a harmonia da face, deixando-a com aspecto jovem e descansado.

Em relação ao pós-operatório, recomenda-se que o paciente não remova o curativo por 24 horas e que o banho completo seja tomado somente depois do primeiro dia após o procedimento. As atividades normais podem ser retomadas após uma semana, em média. A cicatriz, por sua vez, fica encoberta pelos fios de cabelo. Com o passar do tempo, devido ao seu amadurecimento, torna-se praticamente imperceptível.

Os tipos de lipoaspiração

 

shutterstock_109972199

A lipoaspiração é a cirurgia plástica que retira a gordura localizada abaixo da pele, com o objetivo de melhoria do contorno corporal, mas não é indicada para quem está muito acima do peso ideal.

Existem algumas técnicas que podem ser utilizadas nessa cirurgia. Na lipoescultura, por exemplo, busca-se melhorar a silhueta através da remoção da gordura excedente em determinada área. A diferença do procedimento tradicional é que a lipoescultura realoca a gordura do próprio paciente nas regiões desejadas.

Outro tipo é a vibrolipo, que tem os mesmos objetivos da lipoaspiração, porém utiliza uma técnica diferente. Além das cânulas, existe um vibrolipoaspirador, que faz a cânula vibrar, facilitando a penetração no tecido gorduroso.

Há também a laserlipo, técnica que utiliza um laser juntamente com a cânula para quebrar as células de gordura. Essa técnica, no entanto, não é muito utilizada devido aos riscos de queimaduras que pode oferecer.

A técnica da minilipo é a mesma da lipoaspiração tradicional, mas elimina uma quantidade menor de gordura e é indicada para pessoas com pouca gordura localizada. A lipolight é uma variação de nome da minilipo, mas a técnica usada é a mesma.

Outro procedimento, que também retira pouca gordura corporal em relação à lipoaspiração tradicional, é a hidrolipo. Injeções de soro fisiológico são dadas ao paciente, de modo que as células de gordura se rompam, facilitando a sucção.

Tal como na vibrolipo, na lipoultrassônica um aparelho é utilizado juntamente com as cânulas. A diferença é que nessa lipoaspiração a quebra das células de gordura é feita através de ondas de ultrassom.

Por fim, o último tipo de lipoaspiração é a slimlipo. Nela também se usa o laser, porém é uma fibra ótica que faz o contato do laser com o paciente, o que diminui o risco de queimaduras na pele. Ela busca reduzir a gordura localizada e retrair a pele, a fim de evitar ondulações.

Diferenças entre transplante e implante capilar

shutterstock_122348704

Algumas pessoas confundem-se ao chamar transplante de implante. Portanto, abaixo, uma explicação sobre as diferenças entre os dois tipos de cirurgia.
No procedimento de transplante capilar, retira-se parte do cabelo da região doadora, geralmente da parte posterior da cabeça, e transplanta-se para a região calva, ou região receptora.
Os fios retirados são separados em enxertos de até três fios e transplantados para a região receptora através de microincisões. Toda a estrutura do fio é transplantada para a região calva, de modo que a raiz, as glândulas sebáceas e os elementos que a fixam no couro cabeludo são preservados.
O procedimento dura aproximadamente 4 horas e, dependendo do grau de calvície, pode ser dividido em seções até que se obtenha o efeito desejado. O transplante oferece um resultado mais satisfatório e natural do que métodos que usam fios sintéticos.
Já no implante capilar, o procedimento é diferente do transplante. O material implantado é produzido artificialmente e enxertado na região calva. Mesmo oferecendo um resultado satisfatório no curto prazo, com o passar do tempo, é possível que haja uma rejeição por parte do organismo. Além da perda dos fios, a cabeça fica com cicatrizes parecidas com pequenos furos.

A mamoplastia

Com objetivos tanto estéticos quanto de saúde, as cirurgias plásticas nas mamas são muito procuradas por mulheres de todas as idades. O procedimento cirúrgico pode ajudar muito na autoestima feminina, pois os seios são uma das regiões mais valorizadas nas mulheres.

shutterstock_109378832

Existem 3 tipos de mamoplastia mais procurados: de aumento, ou de inserção de próteses de silicone; de redução; e de elevação das mamas.

Na mamoplastia de aumento, o procedimento tem como objetivo tornar mais volumosa a região mamária. Também são igualados seios com tamanhos diferentes. O cirurgião decide em conjunto com o paciente o tamanho das próteses de silicone que serão implantadas, de modo que o resultado fique o mais natural possível.

Já a mamoplastia redutora é indicada para mulheres que sentem seus seios desproporcionais com relação ao corpo e possuem eventuais problemas de coluna entre outras questões de saúde. No procedimento, o cirurgião retira o excesso de volume da região mamária, tornando as mamas mais adequadas à silhueta da mulher.

A mamoplastia de elevação é indicada, principalmente, para mulheres que passaram por grandes flutuações de peso e gravidez, que resultaram em flacidez e queda nas mamas. É realizada através da retirada da pele excedente da mama, o que reduz o aspecto de flacidez, e dá maior firmeza, uma vez que também eleva os seios.

Independentemente do tipo de cirurgia, aconselha-se que o paciente sempre siga as orientações médicas. O cirurgião plástico analisa cada caso e decide pelo melhor procedimento, que levará a um resultado mais natural e satisfatório.

Entenda a abdominoplastia

A abdominoplastia é um procedimento corretivo estético que tem como finalidade reparar o acúmulo de gordura e flacidez na região do abdômen, geralmente causado pela grande perda de peso, e pela gravidez no caso de mulheres. A cirurgia, ao retirar o excesso de pele e gordura, proporciona um maior equilíbrio à região abdominal.Entenda a Abdominoplastia

Existem quatro tipos de cirurgias abdominais. A escolha de um deles depende dos objetivos do paciente e das recomendações do cirurgião plástico. São eles:

Abdominoplastia clássica: corrige a flacidez muscular na barriga e o excesso de pele. É realizada tanto na parte inferior quanto na superior do abdômen.

Abdominoplastia extensa: o início do processo é igual ao da abdominoplastia clássica (corrige a flacidez muscular e remove o excesso de pele), com a diferença que também retira o excesso de gordura lateral da região abdominal.

Miniabdominoplastia: a técnica é a mesma da abdominoplastia (remove flacidez e excesso de pele), porém de forma reduzida. É indicada para quem possui pouca flacidez, uma vez que é feita apenas na parte inferior do abdômen.

Lipoabdominoplastia: é a junção das técnicas de lipoaspiração e abdominoplastia. Portanto, além da remoção de excesso de pele e flacidez, obtida através da abdominoplastia, também se retira a gordura do local, por meio da lipoaspiração.

A abdominoplastia não é um procedimento para emagrecer. O objetivo da cirurgia é apenas remodelar a região abdominal. Sendo assim, é indicada para pessoas que já estejam próximas do peso ideal, tenham bons hábitos alimentares e boa forma física.

3 fatores de segurança da lipoaspiração

Lipoaspiração

Há alguns fatores que podem contribuir para o sucesso e garantir a segurança de uma cirurgia plástica. A lipoaspiração é um dos procedimentos mais realizados no mundo e possui normas, regras e outros itens que, ao serem observados pelo paciente, tornam a técnica ainda mais segura e com grande possibilidade de pleno sucesso.

1.Compreender a indicação do procedimento

A lipoaspiração é indicada para pacientes com acúmulo de gordura localizada, que estejam próximos de seu peso ideal. O procedimento não deve ser visto como um método de emagrecimento, visto que sua finalidade é remodelar a silhueta.

2.Limites do procedimento e de seu organismo

O especialista possui expertise para saber quanta gordura deverá ser retirada de seu organismo, o quanto é seguro para você. Além disso, é consenso na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, que o volume total de gordura a ser removido fique entre 5 e 7% do peso corporal.

3.Especialista

Possuir titularidade nos órgãos máximos da medicina e da cirurgia plástica é pré-requisito essencial para que você tenha confiança em seu especialista e em seu trabalho. Conhecer pacientes que tenham operado com ele também pode ser um diferencial.

5 fatos que fazem sua Cirurgia plástica segura

cirurgia

Optar por uma cirurgia plástica é uma decisão definitiva, visto que os resultados serão desfrutados por toda a vida do paciente, desde que com as devidas manutenções, alimentação balanceada e exercícios regulares.

A escolha de um cirurgião plástico de confiança é outro fator que requer cuidados. Para permanecer mais tranquilo acerca de sua cirurgia plástica, leve em consideração as seguintes questões:

- O profissional faz parte do corpo de membros especialistas da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica?

- Ele está disposto a exibir outros resultados, passar contatos ou ajudá-lo a encontrar pacientes que já fizeram procedimento com ele?

- Está apto a realizar todos os tipos de procedimentos que constituem sua área de atuação?

- Completou cinco anos de especializações após o curso formal?

- As instalações médicas são credenciadas, com o devido suporte de aparelhagem e equipe?

A prática e formação do profissional também são elementos importantes a serem considerados em sua seleção, assim como resultados prévios e satisfação de outros pacientes.

Rinoplastia: Esculpindo Beleza


shutterstock_26057500

Nariz grande, caído, com depressões e outras particularidades que afetam a autoestima e causam constrangimento físico e psicológico possuem na rinoplastia uma opção de melhoria.

Estima-se que já no final do século 19 foram realizadas as primeiras cirurgias plásticas de nariz. Muita coisa mudou e o procedimento ganhou técnicas que minimizam a lesão cirúrgica e facilitam a recuperação dos tecidos. Quanto ao resultado, o critério para um novo formato depende da compreensão das expectativas do paciente pelo cirurgião plástico especialista, suas habilidades técnicas e noções estéticas.

É imprescindível, portanto, que o paciente passe ao especialista exatamente o que o deixa infeliz e o que deseja de fato.

Diferentemente de outras cirurgias, a rinoplastia não possui cálculos específicos que devam ser feitos e é muito importante que você observe outros trabalhos do cirurgião escolhido e verifique se ele é membro das sociedades de sua área de especialidade.